Paulo Corrêa defende que redução do ICMS do diesel seja repassada pelos postos aos consumidores

30/05/2018

img_9801

O presidente da Comissão de Turismo, Indústria e Comércio da Assembleia, deputado Paulo Corrêa (PSDB), é um dos integrantes do Comitê do Monitoramento da Crise, montado essa semana em Mato Grosso do Sul para buscas uma solução que contribua com a o fim da paralisação dos caminhoneiros no Brasil. Mas, o parlamentar defende que a redução do preço do diesel seja repassada ao consumidor final nas bombas.

Embora o governo federal já tenha anunciado uma redução de R$ 0,46 no preço do litro do óleo diesel, os caminhoneiros mantiveram a paralisação e nesta terça-feira (29), após reunião com Assembleia e setor produtivo, o Governador Reinaldo Azambuja também anunciou que o Estado está disposto a reduzir a alíquota do ICMS (Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços) do diesel de 17% para 12% desde que os caminhoneiros voltem ao trabalho.

Agora a Assembleia aguarda Projeto de Lei  do Executivo para aprovar a redução em regime de urgência. De acordo com Paulo Corrêa, a redução significa uma queda média de R$ 0,13 no litro do diesel vendido no Estado.

“Dessa reunião nós tiramos dois indicativos. O primeiro é baixar o ICMS sobre o diesel de 17% para 12% e o segundo, para que se faça um estudo sobre a possibilidade da prorrogação do pagamento do ICMS pelas empresas. Hoje o vencimento é no 5º dia útil e as empresas têm que fazer uma escola, ou pagam a folha ou o ICMS. Levamos estes pleitos ao Governador, inclusive com a participação de dois caminhoneiros autônomos. A proposta do Governador é baixar o ICMS desde que os caminhoneiros deixem Mato Grosso do Sul fluir”, explicou Paulo Corrêa.

O parlamentar disse ainda que agora o Governo do Estado busca, junto ao Sinpetro (Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis, Lubrificantes e Lojas de Conveniência) e às distribuidoras, a redução do preço do óleo diesel nas bombas dos postos.

“Espero que com este esforço concentrado do Governo Federal e do Governo do Estado, possa cair em torno de R$ 0,60 o preço do óleo diesel, mas nós queremos isso na bomba, porque se isso não acontecer esse esforço não vai valer e nós estaremos apenas enriquecendo a cadeia produtiva, que passa pela Petrobrás, distribuidoras e postos. E o maior fiscal será o caminhoneiro e o povo, usando como arma é o celular. Se ficar definido um preço para venda do óleo nas bombas, mas os postos não respeitarem, tem que denunciar”, destacou o parlamentar.  

Em 2015 Paulo Corrêa presidiu a Comissão de Acompanhamento do Preço do Óleo Diesel, criada pela Assembleia depois que o governador Reinaldo reduziu para 12% o ICMS do diesel durante 6 meses. Para Paulo Corrêa, o resultado não foi o esperado porque não houve colaboração dos postos, que continuaram vendendo o combustível sem repassar o desconto para os consumidores.

Paralisação e os reflexos na economia

O protesto dos caminhoneiros já dura 10 dias em todo o país e, embora em alguns lugares o abastecimento já tenha sido retomado, muitas cidades ainda enfrentam falta de produtos e combustíveis. Em Mato Grosso do Sul pelo menos 30 municípios estão totalmente sem combustíveis por conta da paralisação. Outro problema enfrentado pelos pela população é a falta de perecíveis nos supermercados.

Em seu discurso hoje na Assembleia, Paulo Corrêa falou sobre as conseqüências da greve para o Estado, destacando que a redução na arrecadação pode refletir no pagamento dos servidores. “Se os caminhões não voltarem a rodar o movimento econômico do Brasil para e se isso acontecer, param todos os poderes, porque depende da receita de ICMS do Estado, que hoje representa 90% do total da receita arrecadada. Isso pode quebrar o estado e as prefeitas, que são sócias em 25% do ICMS”, explicou.

 

 


Notícias Relacionadas


Educação

Campo Grande

12/07/2018

Status da Obra:


Aparelho de ar condicionado na Escola Estadual Padre José Scampini

O deputado Paulo Corrêa viabilizou junto ao Sesi a doação de 20 aparelhos de ar condicionado para serem instalados na Escola Estadual Padre José Scampini, localizada no bairro Coophavila II, em Campo Grande. 



Educação

Campo Grande

12/07/2018

Status da Obra:


Aparelho de ar condicionado na Escola Estadual Maria Eliza Bocayuva

O depuputado Paulo Corrêa viabilizou junto ao Sesi a doação de 17 aparelho de ar condicionado para serem instalados nas salas de aulada Escola Estadual Maria Eliza Bocayuva Corrêa da Costa, na vila Margarida, em Campo Grande. 



Infraestrutura

Figueirão

07/07/2018

Status da Obra:


Manutenção da rodovia MS-436

Paulo Corrêa solicitou ao Governo do Estado a manutenção da MS-436 entre os Municípios de Alcinópolis e Figueirão.



Infraestrutura

Naviraí

21/06/2018

Status da Obra:


Ponte de Concreto sobre o Rio Tejuí

O deputado Paulo Corrêa solicitou ao governo do Estado, por meio de indicação apresentada na Assembleia, a construção de uma ponte em concreto sobre o Rio Tejuí, com extensão de 18 metros por 6,50 metros de largura e 5 metros de lâmina d'água, no município de Naviraí.

 



Infraestrutura

Naviraí

21/06/2018

Status da Obra:


Cedência do pátio e do barracão da oficina da 7ª RR

Paulo Corrêa solicitou ao governo do Estado, por meio de indicação apresentada na Assembleia, a cedência de parte do pátio e do barracão da oficina da 7ª RR - Agência Regional de Naviraí, com o objetivo de ser utilizado pela administração municipal, para estacionamento e manutenção da frota municipal referente ao transporte escolar.


Paulo Corrêa Nas redes sociais

Siga o Deputado nas redes sociais e acompanhe o ele está fazendo pelo desenvolvimento do nosso Mato Grosso do Sul